Fale Conosco
  • location_on

    Rua amadeu roldan, 637

Deixe sua Mensagem






Você prefere ser atendido por email ou whatsapp?

Seus dados serão utilizados exclusivamente para análise previdenciária. Não repassaremos as informações a terceiros e nos comprometemos a não enviar Spam.

Entenda o prazo que o INSS tem para realizar a perícia médica e em quanto tempo você deve ter seu benefício!

Entenda O Prazo Que O Inss Tem Para Realizar A Pericia Medica E Em Quanto Tempo Voce Deve Ter Seu Beneficio 1 - Escritório de Advocacia em São Paulo - SP | Macedo Advocacia - Entenda o prazo que o INSS tem para realizar a perícia médica e em quanto tempo você deve ter seu benefício!

Você sabe qual é o prazo para receber o benefício após a perícia médica do INSS?

Na matéria de hoje vamos falar sobre o prazo para receber o benefício do INSS após a perícia médica do INSS.

Em certos casos os segurados precisam esperar até por meses para que a perícia seja realizada pelo INSS.

Continue conosco e fique por dentro do assunto.

Na maioria das vezes acontece das perícias atrasam por falta de peritos-médicos suficientes para atender a fila de segurados doentes.

Prazo estipulado por LEI

De acordo com o Tribunal Regional, o INSS tem o prazo de 45 dias para realizar suas perícias médicas, se este prazo for descumprido o benefício deverá ser concedido automaticamente ao segurado.

Entende-se que em casos em que o benefício for requerido por incapacidade, o principal é a verba alimentar, o entendimento é que, um trabalhador incapacitado não tem condições para exercer suas atividades laborais e consequentemente colocar em risco à própria sobrevivência do trabalhador.

Entendimento do Tribunal Regional 

De acordo com o TRJ, o entendimento é que o segurado doente não pode ser desamparado e prejudicado pela demora do INSS em realizar o exame médico.

Por isso é dever do INSS, obrigação respeitar o princípio da eficiência e da razoabilidade, cumprir o prazo de 45 dias.

Pois se ultrapassar esse período o cidadão pode recuperar sua incapacidade e deixar de receber as parcelas a que tem direito.

Fonte: Jornal Contábil