Fale Conosco
  • location_on

    Rua amadeu roldan, 637

Deixe sua Mensagem






Você prefere ser atendido por email ou whatsapp?

Seus dados serão utilizados exclusivamente para análise previdenciária. Não repassaremos as informações a terceiros e nos comprometemos a não enviar Spam.

Segundo pesquisa, cerca de 54% dos empregadores aguardam o retorno das contratações em até um ano

Segundo Pesquisa Cerca De 54 Dos Empregadores Aguardam O Retorno Das Contratacoes Em Ate Um Ano - Escritório de Advocacia em São Paulo - SP | Macedo Advocacia - Segundo pesquisa, cerca de 54% dos empregadores aguardam o retorno das contratações em até um ano

Pesquisa aponta que 54% dos empregadores esperam retomada das contratações em até um ano

Brasil ficou entre os cinco países com empregadores com planos de contratação sólidos para 2021.

A Pesquisa de Expectativa de Emprego do ManpowerGroup detectou que com o fim do ano e após um cenário de grandes incertezas econômicas e demissões, empresários já começam a desenhar projetos para o início de 2021 com previsões otimistas para encontrar soluções diante da crise mundial.

Foram dois trimestres consecutivos com indicadores negativos. Agora, o índice de intenções de contratação no Brasil para o 1º trimestre de 2021 é de 10%, crescimento de 13 pontos percentuais em comparação com o trimestre anterior e igual ao índice do mesmo período deste ano, antes da pandemia.

O levantamento foi feito com 609 empregadores brasileiros entre os dias 15 e 27 de outubro de 2020.

De acordo com a pesquisa, 17% dos empregadores acreditam em um retorno nos níveis de contratação pré-Covid já nos próximos 3 meses. Outros 54% esperam uma retomada no período de até um ano e 23% preveem uma reação no mercado de trabalho entre 4 e 9 meses.

Apenas 5% dos entrevistados têm a perspectiva de que os níveis de contratação nunca retomem os índices anteriores à pandemia.

Esses resultados colocam o Brasil entre os cinco países com os planos de contratação mais sólidos para o 1º trimestre de 2021. No comparativo das Américas, os empregadores brasileiros ficaram atrás apenas dos Estados Unidos.

Em comparação com o 4º trimestre de 2020, 32 dos países pesquisados relata