Fale Conosco
  • location_on

    Rua amadeu roldan, 637

Deixe sua Mensagem






Você prefere ser atendido por email ou whatsapp?

Seus dados serão utilizados exclusivamente para análise previdenciária. Não repassaremos as informações a terceiros e nos comprometemos a não enviar Spam.

O momento é delicado, mas alguém precisa assumir a responsabilidade… Quem deve ser o inventariante no processo de inventário e partilha?

o-momento-e-delicado-mas-alguem-precisa-assumir-a-responsabilidade - O momento é delicado, mas alguém precisa assumir a responsabilidade… Quem deve ser o inventariante no processo de inventário e partilha?

Quem deve ser o inventariante no processo de inventário e partilha?

Quando ocorre a morte de alguma pessoa, seus herdeiros, sejam eles os herdeiros legais ou decorrentes do testamento, devem ingressar com o devido processo de inventário e partilha dos bens deixados pelo falecido.

Nesse caso como fica a administração dos bens deixados pelo falecido?

Esses bens devem ser administrados pelo inventariante, pessoa nomeada pelo Juiz para esse ato e também para listar e descrever todos os bens do falecido. Além disso, o inventariante deve também pagar as dívidas, proteger os bens e declarar os nomes dos herdeiros.

Mas quem deve ser esse inventariante?

A lei processual brasileira prevê uma lista de pessoas que podem ser nomeadas inventariante, sendo que na ausência de uma passa para a seguinte.

Assim conforme art. 617 do Código de Processo Civil o inventariante será nomeado na seguinte ordem:

1 – O cônjuge ou companheiro do falecido;

2 – O herdeiro que se achar na posse e na administração dos bens (se não houver cônjuge ou companheiro sobrevivente ou se estes não puderem ser nomeados);

3 – Qualquer herdeiro (quando nenhum deles estiver na posse e na administração dos bens);

4 – Se houver herdeiro menor, ele será nomeado inventariante e ele terá representante legal;

5 – O testamenteiro (se lhe tiver sido confiada a administração do espólio ou se toda a herança estiver distribuída em legados);

6 – O cessionário do herdeiro ou do legatário;

7 – O inventariante judicial, se houver;

8 – Qualquer pessoa estranha idônea, quando não houver inventariante judicial.

Mas é necessário seguir obrigatoriamente essa lista? Sim, entretanto em casos excepcionais pode o Juiz nomear a pessoa indicada na ordem seguinte, caso o inventariante constante na ordem anterior não cumpra com suas obrigações.

Fonte: Jusbrasil

Marcadores:

Então vamos ao próximo passo e realizar uma análise do seu caso?

Preencha o formulário e saiba como garantir seus direitos.





captcha

Comentários

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Endereço:

UNIDADE:
Av.Marquês de São Vicente 230,
18° andar - Barra Funda - São Paulo
Cep: 01139-000

Telefone:

(11) 4706-4739

E-mail

contato@macedoassessoria.adv.br

Macedo Assessoria Jurídica | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Powered by: Grupo DPG