Fale Conosco
  • location_on

    Rua amadeu roldan, 637

Deixe sua Mensagem






    Você prefere ser atendido por email ou whatsapp?

    Seus dados serão utilizados exclusivamente para análise previdenciária. Não repassaremos as informações a terceiros e nos comprometemos a não enviar Spam.

    Cuidado: criticar sua empresa em redes sociais pode render justa causa!

    141 Macedo - Escritório de Advocacia em São Paulo - SP | Macedo Advocacia - Cuidado: criticar sua empresa em redes sociais pode render justa causa!

    As redes sociais como o Facebook, Instagram e WhatsApp estão cada dia mais presentes em nossas vidas, e está se tornando cada vez mais comum postarmos nosso dia a dia e opiniões nas redes. O Brasil é um dos dez países que mais acessam redes sociais.

    É através das redes sociais onde podemos expressar nossas opiniões com liberdade, porém é preciso tomar cuidado com certas expressões de insatisfação, principalmente se tratando da empresa onde você trabalha, seu chefe e dos seus clientes.

    Posso ser demitido por fazer comentários negativos nas redes sobre a empresa onde trabalho?

    Sim, comentários maldosos e ofensivos sobre a empresa, funcionários ou clientes da empresa onde você trabalha, pode sim levar a demissão até mesmo por justa causa.

    Isso por que no rol de hipóteses de dispensa por justa causa do art. 482 da CLT, diz:

    “ato lesivo da honra ou da boa fama praticado no serviço contra qualquer pessoa, ou ofensas físicas, nas mesmas condições, salvo em caso de legítima defesa, própria ou de outrem;” são motivos de demissão por justa causa.

    A prática de usar redes sociais esytá crescendo demtro e fora das empresas, por isso as empresas estão se atentando vada vez mais spbre o que os seus colaboradores postam nas redes sociais.

    Uso das redes sociais: O que mais gera demissões?

    • Comportamento incorreto que ofende a dignidade das pessoas e da empresa
    • Postagens que vão contra as regras da empresa
    • Postagens que ferem a moral ou são ofensivos aos bons costumes e à decência
    • Uso indevido das redes sociais em horário de trabalho
    • Postagens de pornografia ou obscenidade
    • Postagens de ofensa ao pudor
    • Manifestações de racismo
    • Postagens que difamam o empregador, colegas, clientes ou pacientes
    • Empregado que se utiliza das redes para alcançar objetivos ilícitos
    • Empregado que revela segredos do empregador.

    E no WhatsApp pode?

    De acordo com a justiça também não, veja esse caso.

    O TRT-23 já julgou um caso de um funcionário que foi dispensado por justa causa ao ofender o restaurante em que trabalhava em um grupo de WhatsApp e manteve a dispensa.

    A decisão em 1ª instância o condenou por criticar a promoção rodízio de pizza oferecido pelo restaurante, dizendo que a oferta era uma “merda”. Em recurso, o homem se defendeu e disse que o comentário foi feito “em tom de brincadeira, em seu momento de folga”.

    Facebook

    Veja esse caso de dispensa por justa causa aplicada a um trabalhador que falou mal da empregadora, que é do ramo de conservação e limpeza na capital, em uma postagem na página do Facebook da empresa.

    Na mensagem, o funcionário fez um comentário público, destacando que não recomendava a empresa, e ainda dizendo: “Não trata seus empregados com respeito, ameaças constantes aos empregados, levando ao total constrangimento e humilhação”.

    O trabalhador requereu a reversão da justa causa, porém a juíza constatou que não há dúvida nos autos sobre o teor da publicação.

    Segundo a juíza “o exercício do direito à liberdade de expressão, assegurado no artigo 5º da Constituição da República Federativa do Brasil, não permite ao autor fazer comentários públicos, em redes sociais, que afetem a imagem da empregadora”.

    A julgadora completou dizendo, “Não verificada violação ao direito de liberdade de expressão, é patente a falta grave cometida pelo autor ao fazer comentário público em rede social, apto a ser configurado como ato lesivo da honra ou da boa fama da empregadora. Em tal hipótese, dispensa-se progressão de aplicação de penalidades, sendo, pois, desnecessário à justa causa, que o ex-empregado tenha sofrido penalidades prévias.”

    Fonte: Jornal Contábil

    PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

    Se você precisa de serviço relacionado ao artigo ou necessita de maiores informações sobre o assunto, conte conosco, da Macedo Advocacia.

    Contamos com profissionais que possuem grande experiência e conhecimento no direito previdenciário, tanto na esfera judicial, como, também, no âmbito administrativo.

    Entre em contato conosco utilizando as informações disponibilizadas em nosso website; caso prefira, você pode utilizar a ferramenta de chat do WhatsApp, ela fica localizada no canto inferior direito.

    Estamos apenas te esperando.

    PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

    Rate this post

    Marcadores:

    Então vamos ao próximo passo e realizar uma análise do seu caso?

    Preencha o formulário e saiba como garantir seus direitos.





      captcha

      Comentários

      0 0 votes
      Article Rating
      Subscribe
      Notify of
      guest
      0 Comentários
      Inline Feedbacks
      View all comments

      Endereço:

      UNIDADE:
      Av.Marquês de São Vicente 230,
      18° andar - Barra Funda - São Paulo
      Cep: 01139-000

      Telefone:

      (11) 4706-4739

      E-mail

      contato@macedoassessoria.adv.br

      Macedo Assessoria Jurídica | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

      Powered by: Grupo DPG