Fale Conosco
  • location_on

    Rua amadeu roldan, 637

Deixe sua Mensagem






    Você prefere ser atendido por email ou whatsapp?

    Seus dados serão utilizados exclusivamente para análise previdenciária. Não repassaremos as informações a terceiros e nos comprometemos a não enviar Spam.

    Como receber o Auxílio Emergencial do governo sem cadastro no CadÚnico?

    Como Receber Auxilio Emergencial Do Governo Sem Cadastro Unico - Abrir Empresa Simples - Como receber o Auxílio Emergencial do governo sem cadastro no CadÚnico?

    O presidente Jair Bolsonaro sancionou com vetos, na última quarta-feira (01), a lei que estabelece um auxílio de R$ 600 mensais, por três meses, a trabalhadores informais.

    O auxílio emergencial, conhecido popularmente como coronavoucher, vai beneficiar cerca de 54 milhões de pessoas, com um custo aproximado de R$ 98 bilhões. O auxílio começa a ser pago na semana que vem, de acordo com Bolsonaro. Além disso, ele vai utilizar o CadÚnico – Cadastro Único, como canal principal de concessão. Todavia, mesmo quem não faz parte deste banco de dados do governo federal também poderá receber o auxílio emergencial. Saiba o que você terá que fazer.

    O que é o (CadÚnico) Cadastro Único?

    O Cadastro Único é o principal cadastro social do país, e possui mais de 28 milhões de famílias inscritas. Administrado pelo Ministério da Cidadania, o banco de dados contempla informações sobre as famílias brasileiras em situação de pobreza e de extrema pobreza.

    Com isso, as informações são utilizadas pelo governo federal, pelos estados e pelos municípios para a implementação de políticas públicas, sendo que o uso mais conhecido do CadÚnico é na distribuição do Programa Bolsa Família.

    Adicionalmente, essa base de dados tem sido utilizada também para que os cidadão tenham acesso à programas sociais como o Benefício de Prestação Continuada (BPC/Loas), pago pelo INSS, a Tarifa Social de Energia Elétrica, e o programa “Minha casa, minha vida”, por exemplo.

    De acordo com o Ministério da Cidadania, devem estar cadastradas no programa as famílias de baixa renda que ganham até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50) ou que ganham até três salários mínimos de renda mensal total no domicílio (R$ 3.125).

    Como vai funcionar o auxílio emergencial (coronavoucher)?

    De acordo com a proposta aprovada pelo Congresso Nacional e já sancionada pelo presidente jair Bolsonaro, o auxílio poderá ser pago a até duas pessoas de uma mesma família, com renda de até três salários mínimos (R$ 3.135), por três meses.

    Dessa forma, serão beneficiados todos os trabalhadores que não têm carteira assinada. Portanto, aqueles que não têm direito ao seguro-desemprego, incluindo autônomos, microempreendedores individuais (MEIs) e contribuintes individuais para a Previdência Social.

    Entretanto, o auxílio emergencial terá uma ordem de pagamento. Os primeiros a receber deverão ser os beneficiários do Bolsa Família, que poderão trocar o valor que já recebem pelo novo auxílio, caso seja mais vantajoso.

    Depois disso, o governo vai liberar o dinheiro para trabalhadores informais que estão no Cadastro Único (CadÚnico) e que não recebem o Bolsa família, mas estão inscritos em algum programa do governo federal, como o “Minha casa, minha vida”, por exemplo.

    Portanto, os informais que não estão no CadÚnico, ficarão para o fim da fila. Todavia, as datas de pagamento, ainda não foram confirmadas.

    O que fazer se você não faz parte do CadÚnico?

    De acordo com o governo, as famílias que não estiverem registradas nos cadastros terão que informar, por meio de uma autodeclaração, a renda total domiciliar para ter o direito de receber o auxílio.

    Essa autodeclaração poderá ser feito à distância, através de aplicativo de celular, ou presencialmente, na rede de lotéricas. Todavia, cabe ressaltar que o governo ainda não divulgou como os interessados poderão preencher e enviar essa autodeclaração.

    Como tudo vai acontecer em caráter emergencial, somente a autodeclaração será suficiente para o pagamento. Entretanto, posteriormente o governo poderá cruzar dados para descobrir eventuais fraudes.

    Fonte: Jornal Contabil

    Rate this post

    Se você precisa de serviço relacionado ao artigo ou necessita de maiores informações sobre o assunto, conte conosco, da Macedo Advocacia.

    Contamos com profissionais que possuem grande experiência e conhecimento no direito previdenciário, tanto na esfera judicial, como, também, no âmbito administrativo.

    Entre em contato conosco utilizando as informações disponibilizadas em nosso website; caso prefira, você pode utilizar a ferramenta de chat do WhatsApp, ela fica localizada no canto inferior direito.

    Estamos apenas te esperando.

    PRESSIONE AQUI AGORA MESMO E FALE JÁ CONOSCO PARA MAIS INFORMAÇÕES!

    Marcadores:

    Então vamos ao próximo passo e realizar uma análise do seu caso?

    Preencha o formulário e saiba como garantir seus direitos.





      captcha

      Comentários

      0 0 votes
      Article Rating
      Subscribe
      Notify of
      guest

      0 Comentários
      Inline Feedbacks
      View all comments

      Endereço:

      UNIDADE:
      Av.Marquês de São Vicente 230,
      18° andar - Barra Funda - São Paulo
      Cep: 01139-000

      Telefone:

      (11) 4706-4739

      E-mail

      contato@macedoassessoria.adv.br

      Macedo Assessoria Jurídica | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

      Powered by: Grupo DPG