Fale Conosco
  • location_on

    Rua amadeu roldan, 637

Deixe sua Mensagem






Você prefere ser atendido por email ou whatsapp?

Seus dados serão utilizados exclusivamente para análise previdenciária. Não repassaremos as informações a terceiros e nos comprometemos a não enviar Spam.

Capitalização da Previdência: Você sabe como ela te afeta?

Saibacomoacapitalizacaodaprevidenciaafetavoce Post (1) - Escritório de Advocacia em São Paulo - SP | Macedo Advocacia - Capitalização da Previdência: Você sabe como ela te afeta?

Você Conhece Todos Os Pontos Da Capitalização Da Previdência E Como Ela Te Afeta? 

A capitalização da previdência trouxe muitas dúvidas sobre o orçamento das famílias e as necessidades para o futuro, você sabe como a medida te afeta e quais mudanças são necessárias? 

A capitalização da previdência é como se fosse uma poupança que você faz para garantir a aposentadoria, mas o que ela muda da antiga forma de se aposentar?

Quais são os riscos e no que você tem que prestar atenção?

As dúvidas são muitas e as explicações às vezes mais complicadas do que deveriam, então, vem com a gente para explicarmos como se aposentar sem dor de cabeça.

Como era a previdência anteriormente?

Antes de mais nada, é preciso que você entenda perfeitamente como funcionava a antiga forma de previdência no Brasil, que é conhecida como repartição.

Esse sistema é financiado por gerações. 

“Como assim?”

A geração de trabalhadores ativos contribui ao estado de maneira que uma geração financie a aposentadoria da próxima, e o governo deverá cobrir com o valor que vier a faltar e, cabe a ele fazer o repasse e a administração desses valores, como é o caso do INSS.

A grande questão desse modelo de aposentadoria é acabar exigindo mais do que o estado consegue arcar, ao ter uma geração de aposentados e pensionistas maior do que a geração trabalhadora e, justamente por essa preocupação, a capitalização da previdência começou a ser pensada.

Da repartição para capitalização – O que muda?

Se no modelo de repartição as gerações se financiam, no modelo de capitalização da previdência, cada trabalhador ativo é responsável pela própria aposentadoria, e deverá fazer contribuições e depósitos em contas ou investimentos para que garanta seu futuro.

Com isso, alguns aspectos relacionados à contribuição para o Governo mudam, como, por exemplo, o valor poupado, que deverá ser espontâneo e um valor definido todo mês, podendo ser escolhido de acordo com a conta ou determinação de cada pessoa. 

O controle desse tipo de poupança é feito integralmente pela iniciativa privada, como fundos de pensão, seguradoras e os bancos, que recebem incentivos do mercado de crédito e devem oferecer a sociedade planos que abrangem as diversas realidades da população.

Instabilidade nacional deve entrar na conta

Uma das coisas que pode preocupar no sistema de capitalização da previdência é a dificuldade de prever qual será o valor exato da aposentadoria, ainda mais com a possibilidade da arrecadação destes valores sofrerem mudanças por conta da condição de cada pessoa. 

Com isso, as questões de informalidade e falta de organização pessoal entram na conta, além de que a volatilidade nacional pesa na conta e no valor que cada pessoa consegue dispor para esse investimento no futuro. 

Atualmente, o valor mínimo de aposentadoria é o de um salário mínimo. Porém, na capitalização da previdência, não há mínimo ou máximo.

Ou seja, o valor a ser recebido será de acordo com o que você conseguiu poupar e de acordo com a rentabilidade escolhida, por isso, analisar as opções e as condições de estabilidade da sua profissão e do país é algo imprescindível para garantir uma aposentadoria confortável e segura.

A mudança de modelo de previdência não acontece do dia para a noite

É importante saber que o regime de capitalização da previdência não muda apenas com a promulgação da lei, afinal, a transição dos modelos precisa ser bem analisada para que não deixe em apuros os aposentados de hoje, que contam com o auxílio mensalmente.

Quando bem ajustada, gera bons resultados

Cerca de 20% dos países que adotaram a capitalização da previdência alcançaram melhorias da condição social e melhora da qualidade de vida, isso acontece quando há uma regulamentação mínima defendendo o interesse da sociedade e indicando boas práticas para as instituições financeiras.

O sistema para o qual caminhamos não extingue completamente o atual sistema vigente, ambos serão paralelos para que a transição seja melhor assimilada pela sociedade.

Todavia, o novo sistema será destinado apenas aos novos trabalhadores, para que, assim, a sociedade brasileira possa se acostumar com a transição e ganhar mais qualidade de vida.

Para que a capitalização seja bem sucedida, será necessário que o governo federal atue com integral transparência, bem como condições justas de operabilidade e autonomia nacional, fazendo com que o país aumente sua confiabilidade e se distancie de crises e situações que podem afetar o trabalhador.

No sistema de capitalização da previdência, será primordial que todas as realidades do Brasil sejam levadas em conta e que todo o processo seja transparente e claro para a sociedade.

Agora que você entendeu a diferença entre o modelo vigente e o modelo a ser inserido – Onde tudo isso te afeta?

Caso você já seja aposentado ou receba pensão, a nova regra não irá influenciar no seu benefício.

Para funcionários públicos municipais, eventuais mudanças na previdência deverão acontecer por leis, através da assembleia legislativa e câmara dos vereadores, como foi o caso dos funcionários do município de São Paulo. 

A mudança também não irá contemplar militares do exército e, para policiais civis, federais e agentes penitenciários, será instaurada idade mínima de 55 anos para aposentadoria, com homens devendo cumprir 30 anos comprovados, e mulheres 25 anos.

Políticos e outros funcionários públicos também terão regras específicas para a aposentadoria, que variam de acordo com função, tempo de cargo em funções públicas e condições do tempo de contribuição e idade, que ainda passam por definição, mas que sofrerão mudanças consideráveis também.

Caso você não esteja nessa parcela da sociedade, e ainda irá se aposentar, fique de olho nas mudanças:

Capitalização da previdência com transição do modelo atual

A transição para o modelo de capitalização deverá ser feita de modo orgânico, para não afetar a parcela mais frágil da população e permitir que as pessoas consigam se preparar para a nova condição de aposentadoria.

O momento de transição terá algumas regras e condições de aplicação, que são:

  • Idade mínima:
    Mulheres com 56 anos e homens com 61. Por ano, a idade sobe seis meses, até alcançar a marca de 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens, em 2031 e 2027, respectivamente.
  • Período de contribuição e pedágio:
    Possibilidade de aposentadoria para mulheres após 30 anos de contribuição e os homens com 35, porém, desde que cumpram com pedágio de 50% sobre o tempo que resta para aposentar, tal condição valerá apenas para quem está próximo (dois anos) de entrar com o pedido do benefício.
  • Pontuação:
    Uma outra opção para a aposentadoria no modelo de tempo de contribuição é de que a soma da idade do contribuinte mais o tempo de contribuição chegue em 86 pontos para as mulheres, e 96 pontos para os homens.
    Esse modelo de aposentadoria também irá aumentar (como o caso da aposentadoria por período de contribuição), nesse caso, o acréscimo será de um ponto por ano, até chegar aos 100 pontos para as mulheres, e 105 para os homens, em 2033 e 2018 respectivamente.

Além dessas condições de transição para a capitalização da previdência, a PEC da previdência define que a idade mínima seja revista a cada 4 anos, nesse sentido, as condições de aposentadoria devem acompanhar a expectativa de  vida da população e sofrer alterações conforme a mudança da expectativa de vida e porcentagem de adultos ativos e aposentados, fazendo com que seja comum o aumento da idade mínima e as condições de aposentadoria para as gerações futuras.

Na transição, é necessário se atentar às condições da previdência privada 

A transição para a capitalização da previdência será um momento para que a população busque oportunidades para assegurar uma aposentadoria confortável, por isso, é importante estar atento a algumas situações:

  • Questione quanto é necessário para se manter sem que esteja trabalhando, recebendo o mesmo valor ou um pouco abaixo do que costuma ganhar. Se a resposta é de que não consegue se manter, bem como se manter por um período muito curto, isso indica que, em suma, seus planos de aposentadoria precisam ser revistos e melhor planejados;
  • Entenda suas contas e quanto do seu salário consegue poupar mensalmente, para isso, é importante analisar seus números e quais gastos estão além das necessidades e onde deve focar sua atenção para diminuir custos, sem que, no entanto, isso diminua sua qualidade de vida;
  • Ao alinhar suas contas e planejar a sua aposentadoria, é primordial conseguir determinar, de maneira realista, qual a idade que você gostaria de se aposentar e qual o valor necessário para que consiga se manter, contando apenas com o valor da aposentadoria;
  • Com a capitalização da previdência, as instituições financeiras devem oferecer diversas opções atrativas e com alta rentabilidade em modelos de previdência, no entanto, compare suas opções, busque ajuda de um profissional, para que, com isso, consiga ir além das ofertas e escolha a opção que melhor atende sua necessidade;
  • Não ache que por ser novo não deve pensar em começar a investir em um bom plano previdenciário, a primazia de, quanto mais cedo melhor, é real neste caso. Não existe idade mínima para começar a investir, isso significa que um novo filho chegando pode ser uma ocasião de investimento para a prole, da mesma forma que você deve pensar o quanto antes na sua própria aposentadoria;
  • Entenda que os planos de previdência privada são aplicações de longo prazo, pense nelas como algo que será retirado em, no mínimo 10 ou 15 anos, portanto, é primordial que consiga poupar algum valor para que consiga se planejar adequadamente para quando o momento da aposentadoria chegar.
  • As opções de plano de previdência privados acarretam custos de aplicação, e tais valores devem ser levados em consideração, assim como suas condições de aumento. Em outras palavras, não analise as opções sozinho e busque o auxílio de profissionais próximos, para que eles possam indicar qual a opção mais viável de aposentadoria. 

O planejamento é ideal para manter sua qualidade de vida!

Muitas pessoas acabam tendo uma queda brusca de qualidade de vida já na proposta de previdência atual, ao não analisarem seu padrão de vida e não considerarem as necessidades que essa nova fase exige, ou mesmo não avaliarem a porcentagem contribuída e as condições que os valores incidem no momento da aposentadoria. 

Com a mudança para uma capitalização da previdência, essa mudança pode ser ainda mais brusca se você não se preparar da forma que deve. Se planejar para o futuro deve ir além dos sonhos e ser um planejamento diário, ou pelo menos, recorrente no seu pensamento.

Se antes já não considerávamos apenas as condições da previdência para garantir uma aposentadoria confortável, com a mudança, ela deverá ser altamente planejada e acompanhada por pessoas de confiança, para que você não acabe achando que está investindo o ideal, mas, na realidade, acabar tendo problemas financeiros no momento em que decidir parar de trabalhar. 

Contudo, não é necessário nenhum desespero ou fórmula mirabolante para garantir que a sua aposentadoria seja uma época confortável da sua vida.

O planejamento pode incidir em mudanças na sua realidade atual, mas lhe garantir um patrimônio de alto valor, com boa qualidade de vida e sem preocupações.

Para que isso aconteça, além de entender as condições da capitalização da previdência, é importante que você avalie as mudanças que ela causará em curto, médio e longo prazo na sua vida, além de buscar por profissionais que entendam da mudança na previdência e que te auxiliem da melhor maneira, levando em conta o seu padrão de vida e como deseja estar no futuro.

Para tudo isso, não hesite em contar conosco!

Nós, da Macedo, somos especialistas em oferecer assessoria completa para que você consiga entender seu planejamento atual e melhorar as condições da sua vida, a partir da estruturação das suas condições financeiras, influenciando sua realidade e fomentando seu futuro.

Todas as condições e mudanças da previdência ainda estão em tramitação no governo, ou seja, sempre surgem dúvidas e alterações. As formas de capitalização da previdência estão sendo estudadas para que a população consiga aderir com maior facilidade as mudanças, por isso, conforme aconteçam as alterações, retomamos o assunto para que não restem dúvidas. 

Além de explicar as condições da capitalização da previdência, queremos que você se sinta seguro ao optar pela opção que melhor estiver dentro da sua realidade.

Entre em contato com a nossa equipe e não deixe para depois o planejamento para o seu futuro!

Summary
Capitalização da Previdência: Você sabe como ela te afeta?
Article Name
Capitalização da Previdência: Você sabe como ela te afeta?
Description
A capitalização da previdência trouxe muitas dúvidas sobre o orçamento das famílias e as necessidades para o futuro, você sabe como a medida te afeta e quais mudanças são necessárias?
Author
Publisher Name
Macedo Advocacia
Publisher Logo

Marcadores:

Então vamos ao próximo passo e realizar uma análise do seu caso?

Preencha o formulário e saiba como garantir seus direitos.





captcha

Comentários

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Endereço:

UNIDADE:
Av.Marquês de São Vicente 230,
18° andar - Barra Funda - São Paulo
Cep: 01139-000

Telefone:

(11) 4706-4739

E-mail

contato@macedoassessoria.adv.br

Macedo Assessoria Jurídica | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

Powered by: Grupo DPG